JUSTIÇA MANTÉM DEMISSÃO DE GARÇOM QUE FOI TRABALHAR EMBRIAGADO

Um garçom de churrascaria que foi trabalhar embriagado teve sua demissão por justa causa mantida pela Justiça Trabalhista de Nova Mutum (262 km de Cuiabá).

O ex-trabalhador interpôs a ação na Justiça solicitando que reversão da justa causa, porém, o juiz Átila da Rold Roesler negou o pedido por entender que o caso em questão não foi o de “embriaguez habitual”, na forma classificada como “doença” pelo Código Internacional de Doenças, mas sim o de “embriaguez em serviço”.

Conforme o magistrado, além da conduta do trabalhador causar danos à imagem do empregador, também trouxe perigo aos clientes.

Segundo a assessoria do TRT-MT, além de negar a embriaguez, o trabalhador afirmou que se encontrava em período de estabilidade provisória devido a um acidente de trabalho e não podia ser demitido.

Esta entrada foi publicada em Trabalhista. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *